hecatombe

somos apenas a passagem para um destino melhor
desfazendo-nos em sacrifícios pela terra
tanto não foi ainda proferido
sucumbindo às mãos de estranhos
que esgotam o mais precioso dos recursos
agora que o dia termina
surge o frio da separação quotidiana que empurra os homens para a neblina
travando falsas batalhas contra inimigos imaginários
revela-se o busto das trevas atrás da montanha

homens procuram a força no conforto dos seus
repetindo os mesmos gestos de perdição
mudar de nome/vender o que resta
visitando o anonimato do interior no despertar das torres
reconhecidos na entraga ao submundo
abraçando o sangue do desconhecido em troca de ouro
sofrendo eternas perdas no labirinto do tempo
vergados uns pelos outros na fila dos acontecimentos
habitando a mente dum poético passado
com o falecimento dos combatentes pereceu também o amor

sentamo-nos à beira do abismo
sem vontade de hecatombe

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s