Novas arquitecturas

Reduzido a uma floresta de
cinzas e manchadas
estruturas que parecem
brotar do centro terrestre
furando a crosta
e denunciando a
escravidão dos senhores
edifícios cobertos
de olhos infindáveis
absorvendo tudo à volta,
edifícios-guardas
assentam em sólidas
convenções e tradições,
edifícios que se espalham
como a peste invocada
por um esotérico ritual,
edifícios que colonizam
a terra como os conquistadores
conquistaram a inocência,
edifícios que roubam
o dourado sabor solar
propagando carregadas e
ameaçadoras sombras,
edifícios que crescem até
ao tecto celeste rompendo-o
ao velho modo fascista,
edifícios que me encerram
nas suas tripas para
mais tarde me excretarem
em tripas variadas,
edifícios-caixões de
objectos que espelham
a complexidade da
civilização humana,
edifícios-perseguidores
do campo de visão mesmo
quando o corpo escapa,
edifícios-siameses em
qualquer-toda-parte,
edifícios-artifícios
simbologia mítica,
edifícios-ruínas previsíveis
aguardando a revolta
divina num zeneonegro:
a peste
os tremores
o retorno à origem camuflada

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s