Regresso

Naquele tempo
despi uma máscara
para contemplares
a arquitectura
do meu corpo
disseste ver
todos os mundos já extintos
e nenhum rasto dos tempos,
o sopro divino
o útero do desejo
esperei que
sobre a relva
sob o sol
sob as árvores encantadas
sob a floresta de cidades
os mortos retornassem à vida
os adultos à infância
as mulheres à virgindade e
os homens à santidade
mas a terra permaneceu
indiferente
e nenhum segredo
foi revelado
os dois universos
permaneceram singulares
fecundado apenas
esporadicamente
e permaneci na obscuridade
por esclarecer mas
nem assim
o sabor de coisa alguma
mudou ou se extinguiu
continuámos numa vida de animais
a explorar e a desejar
todos os que passam
não menos felizes
apenas menos

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s