Matriz

Vim pagar todas as dívidas
antes de me atirar ao mundo
cheirar a terra uma última vez
e ver todas as caras conhecidas
no banquete final
em que celebraremos a
dolorosa cópula da vida.

Passar a última noite
na boca-útero do infinito
a adorar répteis
sexuais e manhosos,
desdobrar-me-ei
terra fora para
amar meus irmãos
um-a-um-a-um,
coser na manta do
caos que deus abandonou e
que corre agora
de sexo descoberto.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s